Lovecraft Country (Fonte: Reprodução)
Lovecraft Country (Fonte: Reprodução)

Em 2017, a HBO anunciou o início da produção da série Lovecraft Country, baseado no romance de Matt Ruff que leva o mesmo nome. Iniciando suas gravações em julho de 2018, a série começou ser exibida em agosto desse ano.

Em busca de respostas sobre o desaparecimento de seu pai, um jovem juntamente de sua amiga e tio, partem para uma jornada de descoberta. Porém, ao longo de seu caminho eles tem de lidar com um Estados Unidos segregacionista, além de monstros que podem surgir durante seu percurso.

Pensando no fato que em diversos materiais que acabam sendo adaptado a novas mídias ganham mudanças em comparação ao original, o ScreenRant criou uma lista com as 10 diferenças entre série e livro.

Possíveis spoilers abaixo!

Ela é ele, e ele é ela

Chegando em Massachusetts, Atticus Freeman (Jonathan Majors) e seu grupo encontram um homem chamado William (Jordan Patrick Smith), que dá boas-vindas à mansão Braithwaite. Tempo depois, Freeman descobrem que Christina Braithwaite (Abbey Lee Kershaw) também estava no local e a questiona sobre sua ligação com o rapaz desconhecido.

Precisamente no último episódio é revelado que Cristina e William são a mesma pessoa. No livro, ela na verdade é um homem chamado Caleb Braithwaite, e não existe essa transformação no livro, fruto da magia negra.

Não existe William no livro

Dado o fato que foi explicado no último tópico, acerca da identidade dupla de Christina Braithwaite, é possível afirmar com base no livro de Matt Ruff, que William na verdade não existe.

O personagem assim como outros escalados na série, é fruto de uma mudança da HBO, no qual implantou alguns elementos novos na trama do seriado, afim de fomentar sua dramaticidade e um grande plot twist.

Diana no livro é um garoto

Quase semelhantemente a trama de Cristine, nos livros, a personagem Diana Freeman (Jada Harris) também não faz parte do romance original escrito por Matt Ruff. Mas há poréns!

Na verdade, a existência da personagem é colocada no lugar de um menino chamado Horace. Ela gosta de ler livros de ficção científica e fantasia e de se expressar desenhando, como mostrado no seriado. A maior semelhança da personagem com Horace é a paixão de ambos por quadrinhos.

George não morreu


Assim como visto no filme O iluminado, dirigido por Stanley Kubrick, existem mortes que não estão relatadas no livro de Stephen King, e em Lovecraft Country existe uma mesma situação.

Em um dos eventos mais tensos da temporada, precisamente no segundo, George Freeman (Courtney B. Vance) morre nos braços de Montrose (Michael Kenneth Williams), porém na história original o personagem permanece vivo.

Forte ligação histórica

Um dos aspetos mais ambicioso da série, com certeza é o distanciamento com a conexão do livro. Principalmente na situação que a série busca se trazer referências históricas dos anos 50.

As menções e ambientações da história afro-americana, e também eventos críticos, não marcam presença no original. Porém isso não se tornou impasse, já que a série vem recebendo críticas positivas.

Ruby tinha outra personalidade

Outro personagem que existe na história de Matt Ruff, porém foi alterado é Ruby Baptiste (Wunmi Mosaku). E assim como outros personagens listados aqui, a personagem tem boas diferenças em relação ao original.

Na série, Ruby é uma mulher extrovertida, cantora e dançarina de blues, além de ter ambições. Porém, na obra escrita por Matt, ela é extremamente o contrário de tudo que apresenta no seriado, já que faz trabalhos braçais e não causa tanto impacto.

Sobrenomes alterados

Outra coisa que vale a pena ressaltar é que, no seriado, grande parte dos sobrenomes foram alterados. A mudança evidente fica com Atticus Freeman, que na verdade seu sobrenome seria Turner.

Isso não ocorre só com personagem, já que George e Monstrose que são meios-irmãos no livro, no seriado acabam tendo o mesmo sobrenome, Freeman. A situação também ocorre com Letitia Dandridge (Jurnee Smollett) que passa a ter ‘Lewis’ em seu nome.

A reformulação em Montrose

Na série da HBO, Montrose é um dos personagens mais interessantes de se acompanhar, dado fato de suas tendências, comportamentos, além do passado de sua família com a magia.

No entanto, toda a história montada em torno do personagem é inventada, se comparada com livro. Na obra de Matt Ruff, ele não sabe nada sobre magia Braithwaite, além disso Montrose não é gay no material original.

A casa de Leti

O terceiro capítulo é um divisor de águas para alguns fãs, já que a série diverge com parte da narrativa original, apresentada no livro, simplesmente por adicionar uma casa mal assombrada no enredo.

A casa comprada pela personagem Letitia, tem referências com o apresentado no livro, porém muitas coisas lá não ocorrem no material original. Outra mudança é que na obra, a personagem faz amizade com o espírito da casa, porém na série, a personagem o bane.

Ji-Ah também não existe no livro

Outro caso igual de William, mais uma personagem que também não existe nos livros, mas ganhou vida na série e também uma boa ligação com o público é Ji-Ah (Jamie Chung).

Dado fato que a guerra da Coreia é mencionada, porém de forma breve no livro, a aparição da personagem seria uma exploração melhorada sobre a mitologia coreana apresentada no material original.