De biquíni, As Panteras combateram o crime sem precisar de homem herói

A série de ação policial fez história na TV no auge da segunda onda do feminismo

Publicado em 22/09/2021 08:00
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No auge da segunda onda do movimento feminista, três mulheres protagonizaram uma série policial número um de audiência, sem precisar de homem para salvá-las no final. Há 45 anos, o drama de ação As Panteras (1976-1981) estreou na TV e causou um frisson. Detetives combatiam o crime usando biquíni ou aparecendo em cena sem sutiã.

A atração descompromissada causou debates calorosos na época, que rendem muito pano pra manga ainda hoje. Há quem defenda a série como ícone do empoderamento feminino, nascida em um tempo no qual mulheres no máximo dividiam o protagonismo de uma trama policial com um homem. E ali eram três atrizes principais, um produto inédito do gênero na TV.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Esse destaque motivava telespectadoras a serem iguais às personagens, do jeito de se vestir ou pentear o cabelo a como se comportar em situações delicadas. Garotas também se inspiravam no trio durante brincadeiras de polícia e ladrão. Uma menina sempre tinha a pantera preferida. 

Do outro lado da discussão tem os que criticam a série por ser apelativa, por colocar com frequência as atrizes de biquíni ou com o menor traje de roupa possível.

‘Série balançante’ 

O fato de as protagonistas regularmente não usarem sutiã também fazia parte do discurso do contra, a ponto de rotularem As Panteras como uma “série balançante” (jiggle show), devido ao movimento que o corpo fazia enquanto corriam.

A série As Panteras entrou na TV três anos após a histórica Queima dos Sutiãs, protesto feito durante o concurso de Miss America de 1968. Não usar a peça íntima era um ato de rebeldia, parte do movimento feminista. Mulheres nas ruas faziam isso e as atrizes de As Panteras, concordando com o ato, repetiam o gesto na TV.

Reivindicações da segunda onda do feminismo, como direito à sexualidade sem represálias e igualdade no mercado de trabalho, foram conquistadas pelas atrizes de As Panteras. 

Cadê o homem em As Panteras?

A consagrada dupla Aaron Spelling (1923-2006) e Leonard Goldberg (1934-2019), produtores executivos das mais bem sucedidas tramas policias e de ação da história (como Swat e Starsky & Hutch), foram vender uma série intitulada The Alley Cats para a rede ABC.

A premissa era simples. Três mulheres detetives, todas atraentes, vão trabalhar para um chefe misterioso que as retirou de trabalhos burocráticos na polícia para serem investigadoras particulares. A série teria muita ação, seria bem sexy e fundamentalmente divertida.

Os engravatados disseram para Goldberg que aquela era a pior ideia de programa de TV que ouviu na vida. Eles questionaram sobre quando iria aparecer o homem para salvar as protagonistas no final. Os produtores defenderam que nenhum salvador da pátria era preciso, as três dariam conta do recado sozinhas.

Jaclyn Smith (à esq.), Farrah Fawcett e Kate Jackson, a formação original de As Panteras (Divulgação/ABC)

Audiência recorde

Após a primeira rejeição, a dupla de produtores não desistiu. Continuaram a vender a série, mudaram o título para Charlie’s Angels (como é chamada originalmente) e convenceram a ABC a fazer um piloto, que virou um telefilme de 70 minutos.

O objetivo era escolher uma atriz de cabelo escuro, uma loira e outra ruiva. A primeira contratada foi a Kate Jackson, na pele da inteligente Sabrina, a mais perspicaz do trio. Depois veio a lenda Farrah Fawcett, a loira estonteante Jill, que conquistou os corações de homens e mulheres ao redor do planeta. Por último veio Jaclyn Smith, interpretando a sofisticada Kelly, que não era ruiva.

Em 21 de março de 1976, a ABC exibiu o tal telefilme. A audiência foi fora do normal, equivalente ao público que acompanhava o Super Bowl, a final da NFL (liga de futebol americano). Naquele dia, metade dos americanos assistiram à série das detetives. 

Não teve jeito. A ABC confirmou a série, que estreou em 22 de setembro de 1976. Com muitas mudanças no elenco, só Jaclyn do trio original chegou até o final, o drama As Panteras terminou em 1981, após cinco temporadas.

Veja a vinheta (dublada) da abertura de As Panteras:


Siga o Observatório de Séries nas redes sociais:

Facebook: ObservatorioSeries

Twitter: @obsdeseries

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio