‘Não era amor, era cilada’: Daryl cai na pegadinha do Molejo em The Walking Dead

O galã do apocalipse zumbi errou a flechada no coração de Leah e sentiu o amargo da desencanto

Publicado em 10/10/2021 23:52
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

[Atenção: spoilers a seguir]
Galã do apocalipse zumbi, Daryl Dixon (Norman Reedus) ‘estava crente que iria viver uma história de amor‘, como declama a música Cilada, do grupo Molejo, o hino dos desiludidos. Mas o dissabor da rejeição ele sentiu ao não conseguir encantar definitivamente Leah (Lynn Collins) no oitavo episódio da 11ª temporada de The Walking Dead, disponível desde domingo (10) no Star+.

O herói das flechadas só é bom em acertar os zumbis mesmo. Ele errou o coração de Leah. Daryl teve a poucos segundos de tê-la nos braços, mas foi traído porque não a compreendeu por completo. Ratificação de que nem nas mais drásticas situações é possível entender as mulheres.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Quem é a família?

Desde o quarto episódio, Daryl estava infiltrado no meio dos Ceifadores. Leah, antigo par romântico do bonitão, não apenas fazia parte do grupo, mas era uma das pessoas mais importantes. Por mais doentio que possa parecer, aquela gente louca envolvida em um culto sangrento era como uma família para a loira.

Os Ceifadores estavam atrás de Maggie (Lauren Cohan) e da turma dela. Daryl escondeu que conhecia a viúva, a não ser por um breve contato. A estratégia do galã foi ficar na moita entre os Ceifadores e tentar ajudar a família dele, os sobreviventes de Alexandria –e conseguiu em duas oportunidades.

Daryl não aguentava mais guardar segredo para Leah, só estava esperando a hora certa de contar a quem ele respondia. O herói tinha em mente o objetivo de recrutar a crush, ou seja, tirá-la dos Ceifadores e levá-la para Alexandria (talvez, poderiam ser felizes para sempre).

Norman Reedus com Lynn Collins no 8º episódio da 11ª temporada de The Walking Dead (Reprodução/AMC)

No oitavo episódio da atual leva, o fim da primeira parte da 11ª temporada, Daryl notou a hora de abrir o jogo. Isso porque ele sabia que Leah tinha um coração bom e não era truculenta, como o chefe do grupo, o Papa (Ritchie Coster), e os colegas súditos. 

Ao ouvir a verdade, uma lágrima rolou no rosto de Leah. Daryl pediu para que “parassem” (leia-se: matassem) o Papa, assim ela estaria livre. O líder dos Ceifadores estava para mandar aos ares uma horda de zumbis, utilizando fogos de artifício. A turma da Maggie estava no meio do bando

Leah teve uma discussão com o Papa e após percebê-lo completamente ensandecido, ela o matou com uma facada certeira no pescoço. Pronto. Daryl achou que conseguiu convertê-la. Os dois sairiam dali de mãos dadas. 

Mas uma reviravolta aconteceu. Daryl, na sequência, assassinou um ceifador. E quem experimentou a morte foi Leah, pois olhou ali o sangue escorrendo de alguém da família dela. Daí caiu a ficha. Leah não iria trocar aqueles pessoas que estiveram ao lado dela nos maiores perrengues para partir em retirada ao lado de uma paixão.

Então, Leah espalhou aos outros ceifadores a mentira de que foi Daryl quem matou o Papa, colocando a cabeça do galã a prêmio. O herói percebeu que caiu em uma cilada e não teve outra saída a não ser fugir do santuário dos vilões.

Com o Papa morto, Leah deve assumir o comando dos Ceifadores daqui para frente. Eles são poucos, mas estão vivos e devem partir de vez para cima de Maggie ou de qualquer um sobrevivente inimigo. O nono episódio, somente em 20 fevereiro de 2022, trará as consequências disso tudo.


Siga o Observatório de Séries nas redes sociais:

Facebook: ObservatorioSeries

Twitter: @obsdeseries

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio