Cheia de canastrões, The Walking Dead tem atriz mirim que rouba a cena

Aos 14 anos, a talentosa Cailey Fleming dá um show de interpretação no drama zumbi

Publicado em 23/09/2021 08:00
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A série The Walking Dead tem a má fama de ser um celeiro de canastrões, povoada de atores e atrizes ruins. Nessa mediocridade, uma criança rouba a cena. Desde que entrou na trama, em 2018, Cailey Fleming encanta toda vez que aparece no vídeo. Agora aos 14 anos, mais madura apesar de tenra idade, a menina é quem mais se destaca no elenco.

Prova disso foi o episódio mais recente da 11ª temporada, o quinto, no qual Cailey Fleming brilhou em uma cena de alta carga emocional. Em um papo com Rosita (Christian Serratos), que lembrou as conversas entre Rick (Andrew Lincoln) e Carl (Chandler Riggs), a menina Judith comoveu o telespectador ao se entregar às lágrimas como se fosse uma veterana.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Dentro de toda a história de The Walking Dead, Cailey está no top 5 das melhores atrizes da série. Tudo bem que essa não é uma disputa tão ferrenha assim. Desde a primeira temporada, a atração nunca conseguiu emplacar atores nas principais premiações de Hollywood. Samantha Morton, a vilã Alpha, foi a que chegou mais perto de beliscar uma indicação.

No Globo de Ouro, a produção só concorreu uma vez, como melhor drama. Todas as 16 indicações ao Emmy foram em categorias técnicas (maquiagem, efeito visuais, edição de som, etc.). E no SAG, premiação específica de atuação e feita pelo sindicato dos atores, The Walking Dead apenas disputou (oito vezes) como melhor equipe de dublês.

Doçura de Cailey Fleming

Filha de Rick, Judith é o sinal da esperança no mundo de The Walking Dead, a bebê que nasceu em pleno apocalipse zumbi. Ainda muito pequena, criança de colo, ela aparecia constantemente ao lado do pai, do irmão ou dos incontáveis tios e tias.

Após o salto temporal de seis anos, que sucedeu o desaparecimento de Rick, a versão criança de Judith encarnou em Cailey Fleming. Com o inseparável chapéu de caubói na cabeça, que era de Carl, a menina exalava doçura, chegando até fazer amizade com Negan (Jeffrey Dean Morgan), na época em que ele era do mal e estava preso.

Atualmente, a filha de Rick se sente só. Fora a ausência do xerife, a mãe lhe deixou para ir buscá-lo, e Carl morreu. Depois de um desentendimento com outras crianças da comunidade de Alexandria, Judith ficou muito triste e desabafou com Rosita.

Um choro genuíno

A cena de Judith com Rosita impressionou pela sensibilidade. Cailey Fleming mostrou naquele instante que é uma atriz incrível, mesmo sendo novinha. O olhar de desespero, o tom da voz vacilante e os olhos cheios d’água compuseram o sentimento de dor expresso na atuação.

Judith estava com saudade do irmão, do pai e da mãe. Lembrando de Carl, Judith falou, com lágrimas escorrendo no rosto: “Ele se foi, todo mundo se foi”. Rosita disse que também estava com saudades deles. A menina, então, questionou a tia se o tempo cura as feridas dessas perdas.

A adulta respondeu, com franqueza: “Eu estaria mentindo se dissesse que sim.” A filha de Rick abriu ainda mais o coração: “Eu fico com medo de começar a esquecê-los [com o passar do tempo]”.

Daí, Rosita jogou de igual para igual e fez uma revelação pessoal, ao contar para a sobrinha uma história da infância. Ela não conheceu o pai e “quando minha mãe morreu, era só um pouco mais velha do que você agora“, falou para Judith. “Eu ainda sinto saudade dela a todo instante“, completou.

Judith se sentiu confortada e apreciou o fato de Rosita ter sido verdadeira, sem medir palavras, lhe dando uma panorama sincero sobre a vida, morte e luto.

Os episódios inéditos de The Walking Dead estreiam sempre aos domingos, no streaming Star+. Para saber mais sobre como assinar a plataforma e conferir descontos, clique aqui.


Siga o Observatório de Séries nas redes sociais:

Facebook: ObservatorioSeries

Twitter: @obsdeseries

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio