The Walking Dead pode procurar novo lar; AMC vai contra lei anti-aborto

Publicado em 02/06/2019 18:44
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A AMC é a mais recente grande empresa de entretenimento a reconsiderar a produção na Geórgia, em face da legislação antiaborto assinada em maio. Assim, de acordo com a Forbes, a AMC “reavaliará sua atividade” no estado se o projeto de lei entrar em vigor. Então, isso significa que The Walking Dead pode procurar um novo lar pela primeira vez em 10 temporadas.

Segundo uma declaração feita por um porta-voz da AMC, “Se esta legislação altamente restritiva entrar em vigor, reavaliaremos nossa atividade na Geórgia. Projetos semelhantes, alguns ainda mais restritivos, passaram por vários estados e foram desafiados. É provável que seja uma luta longa e complicada e estamos acompanhando tudo muito de perto”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O comunicado refere-se ao chamado Projeto Heartbeat, assinado pelo governador republicano da Geórgia, Brian Kemp, em 7 de maio, que proíbe o aborto depois que um médico detecta um batimento cardíaco fetal. Dessa forma, a proibição se aplica com cerca de seis semanas de gravidez. Contudo, isso significa um período no qual muitas mulheres nem saibam ainda de sua gravidez. O projeto deve entrar em vigor em 1º de janeiro, caso sobreviva a desafios judiciais.

A Geórgia tem sido o principal local de filmagem de The Walking Dead desde a 1ª temporada. Mas não é apenas o seriado principal da franquia que o Estado pode perder. Andrew Lincoln, vai estrelar uma trilogia de filmes ambientados no universo, e futuros spin offs também poderiam ser rodados na Geórgia.

Mais se pronunciaram além da AMC

O grande número de empresas de Hollywood que expressam desaprovação da legislação proposta continua a crescer. A AMC junta-se à Netflix, Disney, WarnerMedia, NBC, CBS, Viacom e Sony como empresas de entretenimento que anunciaram hesitação em manter suas produções no estado caso o projeto tenha efeito, embora nenhuma tenha começado a extrair produções da Geórgia ou esteja comprometida a começar até que os tribunais tenham proferido uma decisão final.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio