Showrunner revela o motivo de ter mudado tanto essa personagem das HQs em The Walking Dead

Publicado em 21/11/2019 04:39
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Angela Kang, a showrunner de The Walking Dead, revelou qual foi o raciocínio por trás da reviravolta chocante do sétimo episódio da 10ª temporada, Open Your Eyes.

Uma marcação vocal foi a última pista que Siddiq (Avi Nash) precisava para desbloquear o transtorno de estresse pós-traumático que o atormentava desde que ele foi sequestrado pelos Sussurradores, sendo forçado a assistir Alpha (Samantha Morton) assassinar sua aprendiz, Enid (Katelyn Nacon) e a amiga Tara (Alanna Masterson).

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Siddiq percebeu que era o seu assistente, Dante (Juan Javier Cardenas), quem estava por trás da doença misteriosa que se espalhava por Alexandria e, pior ainda, que era um Dante mascarado que forçou Siddiq a assistir seus amigos serem mortos.

“Quando estávamos começando a temporada, estávamos conversando sobre qual seria a natureza da guerra com os Sussurradores e quais são os sentimentos interessantes dos quadrinhos. E eu tenho falado sobre como começamos a pensar sobre isso em termos de guerra fria, e então pensamos: ‘O que realmente faz uma guerra fria ser uma guerra fria?’”, disse Kang ao Entertainment Weekly.

“E muito disso tinha a ver com a sensação de não ter certeza em quem confiar, a paranoia e muito disso veio do que Robert Kirkman criou. Toda essa ideia de propaganda e outras coisas estão nos livros. E então pensamos: ‘Bem, também se trata de espiões, e há um aspecto de espionagem’. E nós realmente não havíamos feito isso dessa maneira, exceto com a troca de lado de Dwight. Mas agora é de forma diferente”.

A criação de Dante

“Começamos realmente com a ideia de que seria interessante se houvesse tentativas de reunir informações de ambos os lados e, quando entramos na história, de como seria interessante se Siddiq, como resultado de seu TEPT, tivesse lacunas em sua memória e não pudesse confiar em si mesmo. E como as coisas estão dando errado, ele não tem certeza do que está acontecendo. Começamos a criar essa personagem de espião e, em seguida, o problema era: ‘Bem, como você incorpora um espião quando nosso povo é tão inteligente e tão esclarecido quanto às coisas? E também nosso público é mais experiente”.

“Acabamos por falar que muitas vezes os sociopatas podem ser indivíduos de alto desempenho que se escondem à vista porque são realizados. E assim, ficamos tipo: ‘Bem, as pessoas tendem a confiar nos médicos. Elas apenas fazem isso. E é algo que eles precisam e se conecta ao Siddiq”, disse Kang. “Estávamos querendo apresentar Dante como personagem, e decidimos fundi-los e ver se poderíamos interpretar uma história onde, ‘Aqui está essa pessoa que, por um lado, é incrivelmente charmosa e pode ser uma amiga e ele legitimamente gosta de Siddiq. Mas ele também tem uma vida mais sombria’. Então foi assim que surgiu a gênese da fusão de Dante e essa personagem de espião”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio