Showrunner de Jessica Jones fala sobre o fim da série

Publicado em 13/06/2019 20:23
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A protagonista de Jessica Jones pode ter força e estamina sobre-humana. Mas os superpoderes nunca foram a parte mais atraente da célebre série Marvel Netflix.

O programa que acompanha os esforços da personagem de Krysten Ritter para administrar uma agência de detetives e lidar com seus demônios passados, recebeu aclamação da crítica em sua primeira temporada por destemidamente abordar temas pesados ​​em um gênero que se tornou decididamente familiar nos últimos anos.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Enquanto os quadrinhos muitas vezes adotam temas maduros, a maioria dos filmes baseados em quadrinhos e programas de televisão na última década permaneceram firmemente dentro do território do PG-13. Mas Jessica Jones, como os outros programas da Marvel Netflix, contrariou essa tendência vários anos antes de filmes de super-heróis como Deadpool e Logan chegarem aos cinemas.

Nas palavras da showrunner

A showrunner Melissa Rosenberg sempre pretendeu que a série tomasse esse rumo. Antes da estreia sua terceira e última temporada na Netflix nesta sexta-feira (14), ela revelou ter ficado emocionada que o show do adulto é tão bem recebido pelos espectadores.

“Por natureza de um show que gira em torno de uma mulher maravilhosa, eu obviamente sabia que teria uma tendência feminista. Mas quando lançamos a 1ª temporada, minha principal esperança era que as pessoas achassem divertido”, disse Rosenberg ao IndieWire. “O que me surpreendeu é o quanto isso repercutiu na audiência e nos sobreviventes de estupro e violência doméstica. Não foi nossa intenção entrar nisso. Mas saindo do show, foi uma das coisas mais gratificantes da minha carreira”.

A showrunner ainda comentou como o orçamento da série influenciou nas decisões artísticas do filme.

“Descobrimos desde cedo que quando Jessica pulava para o telhado, se você visse o efeito, era menos eficaz do que vê-la sair de cena e depois vê-la pousar”, disse Rosenberg. “Não temos o orçamento dos filmes da MCU. Você tem que fazer isso em um orçamento de TV e fazer com que pareça mais fundamentada, então quanto menos você ver, melhor”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio