Reboot de Digimon vai dar certo? Anime pode depender da nostalgia após premissa ficar ultrapassada

Publicado em 13/03/2020 17:59
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A continuidade original de Digimon terminou recentemente com o lançamento de Digimon Adventure: Final Evolution no Japão. Mas se a franquia terminou o que começou em 1999, agora está começando tudo novamente.

Uma nova série de anime Digimon Adventure reiniciará a história dos Digiescolhidos originais. Como mostrado no trailer recente, a nova série, enquanto protagoniza o antigo elenco de Tai e seus amigos, reformula a história para os dias de hoje, que se reflete na tecnologia usada, como Tai segurando um smartphone.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Assim, a franquia mostra uma tentativa de se modernizar para a era contemporânea, na qual o mundo digital está muito mais perto de se tornar uma realidade cotidiana. Embora acréscimos como esses contribuam bastante para tornar esse reboot relevante para os telespectadores de hoje, é suficiente para manter a franquia viva? Afinal, muitos dos temas que fizeram o Digimon se destacar agora são coisas comuns, especialmente no anime. A antiga franquia rival de Pokémon se tornou irrelevante?

Digimon e o mundo digital

Digimon foi um dos pioneiros na ideia de mundos digitais em desenhos animados. Esse conceito passou a ser usado no início dos anos 2000, antes de se tornar onipresente no anime nos anos 2010. E graças ao Digimon e, mais recentemente, Sword Art Online em particular, tornou-se muito presente no meio.

Muitas dessas histórias enviam seus protagonistas para mundos muito diferentes dos seus. Mas muitas dessas realidades diferentes se assemelham convenientemente ao conceito de ciberespaço e realidade virtual. Pode-se argumentar que ter esses conceitos em realidade na tecnologia moderna torna esses programas e, por extensão, Digimon, mais relevante. Mas infelizmente, talvez seja o contrário.

Isekai atraiu uma quantidade incrível de ira devido ao quão comum é como um gênero. O termo se refere ao gênero que explora protagonistas do “mundo real” sendo transportado para uma realidade paralela. São diversos animes novos que mostram seus protagonistas interagindo com o mundo digital de alguma maneira; o próprio conceito que inicialmente fez Digimon se destacar de Pokémon.

O conceito de treinamento de monstros e tecnologia digital era muito mais novo e mais emocionante quando o Digimon foi lançado. E se o seu diferencial hoje se tornou algo tão mundano que é criticado pelo fãs, isso pode impedir a franquia de causar muito impacto nos telespectadores mais jovens, independentemente de agora envolver smartphones.

Ao contrário de Pokémon, o anime Digimon não era baseado e nem veio após o lançamento de um conjunto de videogames populares. Apesar disso, sua premissa digital básica ainda o fazia se parecer muito com um videogame; como seus monstros lutavam, eram criados e digivolvidos. Isso também é predominante no anime isekai, onde os mundos de fantasia são muitas vezes baseados em RPGs de mesa e de videogame.

Assim, a premissa de Digimon se tornou mundana em um mar de concorrentes. E não ajuda que muitos desses concorrentes tenham sido considerados não tão bons assim. Apesar de ter se tornado relevante naquela época, Digimon certamente não é mais o único em seu meio.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio