Produtores de Legion comentam viagem no tempo e Professor Xavier

Publicado em 08/07/2019 14:53
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Atualmente, Legion está lançando os episódios de sua terceira e última temporada na FX. Então, muitas perguntas estão tomando o público. A temporada jogou ainda mais caos no show, com David (Dan Stevens) recrutando Switch (Lauren Tsai) para o seu culto trippy de paz e do amor. Switch é uma viajante do tempo, cujos poderes podem permitir que David evite a morte certa nas mãos de Syd (Rachel Keller).

A Collider falou com os produtores executivos Lauren Shuler Donner e John Cameron, e aqui estão algumas das melhores partes da entrevista.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Viagem no tempo

Cameron: Sim. Switch é completamente inovadora e interessante. Ela é um enigma. Nós realmente não sabemos qual é a dela e por que ela está aqui. Mas vamos descobrir. Nós abordamos as regras de viagem e as regras do plano astral, script por script. Isso é parte do processo: eles podem fazer isso? Como chegamos lá? Então, às vezes temos que olhar para trás e pensar: ‘Quando isso acontece, isso tem que acontecer’. É uma abordagem em constante evolução para nossa lógica interna de histórias. Chamar de lógica é exagerar.

Donner: Nós tentamos fazer isso. Com a viagem no tempo, ela passa por portas. Então nós temos um hall de portas. A certa altura, decidimos defini-lo, para que cada porta fosse diferente, seja 20 minutos no passado, uma hora no passado, um dia ou um mês. Isso ajuda a definir esse dispositivo para o público.

Charles Xavier, o Professor X

Donner: Ele (Harry Lloyd) traz mais de uma vulnerabilidade e uma ingenuidade, da maneira que Charles poderia ter sido na época. No legado e todo o mito de tudo isso, ele não sabia que outras pessoas têm poderes, ou ao menos estamos dizendo isso. Então ele traz esse ponto de vista para a personagem.

O legado de Legion

Cameron: Em um nível pessoal, eu realmente gostei da aparência do show e descobrir como fazer esse show. É um pouco mais assustador. Mas mais excitante do que um show mais prosaico. Buscar material que apoie esse tipo de abordagem é algo que seria interessante para mim no futuro.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio