Opinião | Saída de Moro é um ganho inestimável para a Netflix

Publicado em 24/04/2020 12:58
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A manhã dessa sexta-feira (24) foi agitada pela saída de Sergio Moro do Ministério da Justiça. Em coletiva, o ex-ministro anunciou a sua saída do governo Bolsonaro. E pelas declarações do ex-juiz, a Netflix pode garantir ao menos mais 3 temporadas de O Mecanismo para José Padilha.

Talvez o maior sucesso de thriller político da gigante do streaming tenha sido House of Cards. Sendo totalmente fictícia, a série tinha tudo para continuar por várias temporadas, não fosse o desligamento abrupto de Kevin Spacey, protagonista do programa, após acusações de abuso sexual.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Mas a verdade é que a política brasileira deixaria Frank Underwood sem saber para que lado olhar. E se o mundo do entretenimento está paralisado durante essa pandemia do Coronavírus, ao menos uma série parece estar ganhando cada vez mais combustível para queimar: O Mecanismo, da Netflix.

Inspirada pelas investigações da chamada Operação Lava-Jato, a série comandada por Padilha parecia mais frágil na área da criação, tendo em vista que sua narrativa dependia de fatos para se apoiar (mesmo que ela não seja, de fato, um relato histórico). E as mais recentes novidades do Planalto certamente podem ser vistas como consequências dos fatos que inspiraram a fantasia da série.

O Juiz Paulo Rigo de Otto Jr., obviamente inspirado na pessoa de Sergio Moro, apareceu em 13 dos 16 episódios do show, ficando atrás apenas de Verena (Caroline Abras), Ruffo (Selton Mello), Ibrahim (Enrique Diaz) e Vander (Jonathan Haagensen), personagens não-inspiradas em pessoas reais que servem como protagonistas do show. Rigo é a personagem com inspirações não-fictícias mais exploradas pela série.

A jornada de Moro pelo governo atual poderia muito bem ser incorporada por Padilha, em um roteiro cheio de reviravoltas, traições e, é claro, muitas investigações de corrupção, já que o ex-ministro alegou diversas situações que inspiram debates sobre o presidente. Rigo já está no meio do que Padilha colocou como um sacrifício heroico na série. Colocá-lo em mais holofotes não seria difícil, mas uma consequência natural do roteiro da série.

Quem sabe não seja a hora da série apostar mais na comédia. Um breve participação de um deputado não nomeado, vivido por Garcia Júnior, aconteceu na 2ª temporada do show, deixando claro que aquela seria a personagem inspirada no atual presidente, Jair Bolsonaro. O ator é conhecido por seus trabalhos na dublagem, emprestando sua voz para personagens icônicas de Arnold Schwarzenegger e até mesmo o Pica-Pau, e não é estranho ao pastelão que bem caberia para o futuro da série.

A saída de Moro é um ganho inestimável para a Netflix que, se for rápida o suficiente, já pediu para José Padilha novas temporadas de O Mecanismo. O único obstáculo da série é encontrar um final feliz, ou ao menos satisfatório, para sua busca incansável ao fim da corrupção.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio