“Eu não me importo se eles morrerem com sua feiura”, diz ex-Grey’s Anatomy

Publicado em 03/06/2020 12:25
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Katherine Heigl, que ganhou fama ao interpretar Izzie em Grey’s Anatomy, está se abrindo sobre as noites sem dormir, as lágrimas e as “chamas da raiva” que está experimentando enquanto pensa em como explicar a morte de George Floyd para seus filhos.

Enquanto multidões ao redor do mundo saíam às ruas para protestar contra a injustiça racial após a morte do homem de 46 anos em Minneapolis (depois que um policial usou o joelho para segurá-lo pelo pescoço por mais de sete minutos) a atriz compartilhou uma longa publicação no Instagram, explicando sua mágoa e condenando o ódio racial.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Eu não consigo dormir. E quando acordo, acordo com um único pensamento na cabeça. Como direi a Adalaide? Como vou explicar o inexplicável? Como posso protegê-la? Como posso quebrar um pedaço de seu belo espírito divino para fazer isso? Não consigo dormir”, escreveu Heigl, referindo-se à filha de 8 anos que ela e o marido músico, Josh Kelley, adotaram em 2012.

Deitei na minha cama no escuro e chorei por todas as mães de uma bela e divina criança negra que precisa extinguir um pedaço do espírito de seu amado bebê para tentar mantê-lo vivo em um país que tem muitos dormindo profundamente”, continuou na publicação, que você pode conferir abaixo:

“Os olhos se fecharam. Imagens, gritos, pedidos e dores são banidos de suas mentes. Bolhas brancas fortes e intactas. Mas eu fiquei acordada. Finalmente. Dolorosamente. Minha bolha branca, embora sempre comigo agora, começa a sangrar. Porque eu tenho uma filha negra. Porque eu tenho uma filha coreana. Porque eu tenho uma irmã coreana e sobrinhos e sobrinha. Levei muito tempo para internalizar verdadeiramente a realidade da verdade desprezível e abominável e maligna do racismo. Minha brancura escondeu de mim”, revelou a atriz.

A ex-Grey’s Anatomy explicou que, graças à sua educação que fazia da “inclusão” a norma, ela não conseguia entender “um cérebro que via a cor da pele de alguém como algo além disso”. Ela disse que também era ingênua com sua perspectiva, assim como “cega” para quem tratou sua irmã de maneira diferente no passado.

Enquanto Heigl admitia sentir-se desamparada com os acontecimentos recentes, seus filhos e sua família haviam inflamado a “raiva” dentro dela:

“Eu olho para minhas filhas. Minha irmã. Meus sobrinhos e sobrinha. George Floyd. Ahmaud Arbery. Breonna Taylor”, escreveu ela. “As centenas, milhares, milhões a mais que nem ouvimos falar. Eu olho e o medo se transforma em outra coisa. A tristeza esquenta e depois explode em chamas de raiva”.

Katherine Heigl condenou as ações “malignas” dos policiais que estavam presentes na prisão de Floyd e sua morte subsequente, acrescentando que ela esperava que eles enfrentassem duras consequências, o que “assustaria todos os outros racistas que ainda se apegam a seus pequenos e estúpidos ódios”.

Ela ainda revelou que já havia tentado “mudar a ideia” de um racista, Mas agora, a ex-intérprete de Izzie simplesmente quer que as pessoas paguem por suas ações.

“Eu não me importo mais. Por seus corações, mentes ou almas. Eu não me importo se eles morrerem com sua feiura estampada em todos eles. Eles podem levar essa merda para o criador e ele pode lidar com eles. O que eu quero é que todos fiquem tão assustados com as consequências”, escreveu Katherine Heigl. “Quero que ele seja um exemplo do que acontece com um racista neste país”.

https://observatoriodeseries.uol.com.br/noticias/ellen-pompeo-revela-ambiente-toxico-em-greys-anatomy
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio