Essa é a hora de voltar para The Walking Dead

Publicado em 01/11/2019 19:15
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Certamente, The Walking Dead conhece bem os picos e as baixas de qualidade. Através de 10 temporadas, manter o mesmo nível de seus melhores momentos provou ser algo impossível. A verdade é que a maioria da série tem sido satisfatória para os espectadores. Mas alguns desses pontos baixos afastaram o público do drama de mortos-vivos da AMC.

Infelizmente para os fãs que pularam de barco (e muitos pularam do barco, principalmente durante a história de All Out War, que se seguiu após a introdução de Negan e o assassinato de Glenn), a série está atingindo um pico de qualidade agora. Afinal, a 10ª temporada está conseguindo, e muito bem, desenvolver o tremendo trabalho estabelecido por uma 9ª temporada revigorante.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O passado

Um dos maiores problemas que atormentou The Walking Dead durante seus anos de televisão foi definitivamente o ritmo. A saga que seguiu o Governador ficou marcada como uma das tramas mais interessantes propostas aos telespectadores, trazendo pela primeira vez um vilão claro desde que Shane deixou o show. Por seu sucesso, a história acabou sendo prolongada por algumas temporadas. Isso gerou a produção de episódios de sucesso ao longo do caminho. Mas acabou também por diminuir o ritmo, em favor da preservação da história e das personagens.

Esse mesmo sentimento foi implementado de forma especialmente forte em cada uma das primeiras partes da 7ª e 8ª temporada. Aqueles que não haviam desistido do show após a morte de Glenn, um favorito dos fãs, acabou por se entediar com a série, mesmo com a chegada de um vilão bastante popular. Mas agora, a nova showrunner, Angela Kang, parece ter acertado a mão no ritmo. Depois da despedida de Rick, que por si só trouxe um novo panorama para a série, somente tramas interessantes foram introduzidas, cercando o novo perigo na forma dos Sussurradores.

O presente

Cada episódio parece servir ao propósito de avançar a narrativa e, na maioria das vezes, essa narrativa inclui muitas das personagens principais. Apesar de ter Danai Gurira, de saída do show, no set por menos da metade da produção da 10ª temporada, fazendo com que a presença de Michonne fosse compartilhada em alguns episódios ao longo da temporada, isso não deixou nenhum impacto negativo nos episódios em que ela está ausente. Ao invés disso, Samantha Morton, Ross Marquand e Jeffrey Dean Morgan estão recebendo belas oportunidades que nunca parecem desperdiçadas. O crescimento dessas personagens está beneficiando tremendamente The Walking Dead.

10ª temporada

À medida que as personagens estão crescendo, seus relacionamentos também estão se tornando mais interessantes. Assim, os fãs estão começando a discussão online novamente, principalmente em relação aos possíveis romances entre personagens como Carol, Daryl, Connie e Ezekiel. Decerto, um sinal de investimento daqueles dedicados à série. Além disso, há a dinâmica entre Aaron e Negan. Essa em particular não tem muita história compartilhada na tela. Mas está enraizada nos efeitos que cada um teve na outra, apesar de não passar tanto tempo juntos.

É claro que, à medida que o ritmo mantém a série em movimento, as tensões aumentam, enquanto o líder dos Sussurradores, Alpha, sempre se mostra presente no fundo. Não tendo nenhum tempo de exibição exagerado, o público lembra constantemente de Alpha através de cortes sutis em seu grupo e acampamento, cada um dos quais prova que esse grupo de vilões e sua nova filosofia de vida criam histórias interessantes e frescas. Desta vez, o conflitos entre humanos toma uma forma diferente e única devido à natureza dos vilões.

Retorno às raízes

Os arcos das personagens são todos muito interessantes. Se é a história compartilhada de Daryl e Carol ou as questões sobre se eles continuarão a passar algum tempo juntos ou se são os recém-chegados, como Magna e Yumiko, que têm problemas próprios, Kang e os escritores encontraram um tremendo equilíbrio em todos os aspectos. A série voltou às suas raízes no gênero horror, muitas vezes exigindo momentos violentos e momentos de tensão construídos pela imaginação e pelo ambiente.

Um dos momentos menores que se destaca especificamente ocorreu no quarto episódio dessa temporada, que foi ao ar neste último domingo (27). O ex-vilão Negan continuou seu caminho de redenção, o qual a série está elaborando cuidadosamente, quando ele resgatou a ex-Sussurradora, Lydia, de um ataque brutal dentro dos muros da comunidade de Alexandria. Depois de matar acidentalmente uma das atacantes, Negan estava no banco dos réus da comunidade, fazendo com que uma história verdadeiramente interessante e envolvente surgisse.

O futuro

Finalmente, aqueles que não desistiram de The Walking Dead podem dizer que a série é, novamente, uma das melhores na televisão. Por hora, é seguro dizer que isso não é um golpe de sorte. Com quatro episódios lançados da 10ª temporada, e toda uma 9ª temporada de prova, a chegada de Kang se mostrou essencial para a franquia, e principalmente sua série principal, não morrer. Enquanto Fear the Walking Dead tende na direção errada e uma terceira série se prepara para o lançamento, The Walking Dead está atingindo outro pico para justificar a existência da marca depois de tantos anos.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio