Como uma cena de agressão sexual em The Boys foi influenciada pelo movimento #MeToo e o escândalo Harvey Weinstein

Publicado em 31/07/2019 21:59
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Decerto que a série The Boys da Amazon Prime Video está ganhando notoriedade por sua sátira perspicaz e mordaz de fama e celebridade por meio do gênero de super-heróis. Mas também por oferecer aos espectadores uma visão depravada, violenta e pervertida sobre as franquias de super-heróis que eles conhecem e amam.

É justo dizer que as HQs de Garth Ennis e Darick Robertson forneceram um material chocante para o programa de TV adaptar. Mas algumas mudanças radicais no clima sócio-político forçaram os showrunners a repensar sua abordagem de uma cena especialmente perturbadora nos quadrinhos.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nos quadrinhos

Na terceira edição de The Boys, a equipe de super-heróis The Seven dá as boas-vindas para Starlight de uma forma horrível: através de um abuso sexual de diversos heróis, ao estilo gang bang. Começa com Homelander largando as calças sem aviso prévio e exigindo sexo oral. E só piora quando os colegas Black Noir e A-Train aparecem exigindo o mesmo.

Annie, a Starlight, faz o que exigem seus futuros colegas. Mas a coerção a deixa envergonhada e traumatizada. A cena foi especialmente chocante para os leitores, do jeito que surge do nada, e como a gratuidade é realmente absurda. Confira um trecho:

Na TV

Bem, o showrunner de The Boys, Eric Kripke, estava inicialmente inclinado a evitar a sub-trama de assalto sexual da Starlight inteiramente ao criar o enredo. Mas sua equipe de roteiristas não o deixaria livre facilmente. Como ele disse à Entertainment Weekly:

“Estas eram minhas escritoras e produtoras dizendo: ‘Isso é algo que acontece, achamos importante falar sobre’”. Assim veio a decisão de Kripke de fazer “uma versão séria e assustadora de essa história”.

A primeira revisão viu algo parecido com o que obtivemos no piloto, apenas domador. Envolveu a subtrama de Starlight com The Deep, servindo de espelho para atrizes que tentavam trabalhar em um ambiente tóxico de Hollywood, tendo pouca defesa contra agressão ou assédio masculino.

Mas quando o escândalo de Harvey Weinstein foi escancarado no final de 2017, a enorme mudança no discurso social forçou Kripke a repensar essa cena crucial novamente:

“Originalmente, a Starlight iria lidar com esse ataque e então ela realmente não teve outro recurso a não ser enfrentar diretamente The Deep”, recorda Kripke. “Ela ia se levantar e ir atrás dele porque não estávamos vivendo em uma sociedade onde as mulheres eram acreditadas quando elas falam”.

Como o escândalo Harvey Weinstein mudou a trama

Contudo, o escândalo de Weinstein e a ascensão do movimento #MeToo mudou as coisas, segundo o showrunner:

“De repente, você poderia falar, e você poderia realmente trazer um podeso realmente para baixo”, Kripke diz. “Em vez de uma história acontecendo a portas fechadas, como tudo tinha sido, de repente foi uma história onde Starlight estava falando, e The Deep estava sofrendo publicamente como resultado”.

De fato, a personagem de Starlight na 1ª temporada de The Boys reflete muitas das realidades abusivas ​​das eras #MeToo e #TimesUp que ainda estão se desenrolando.

Essa é uma das várias discussões bem-vindas do mundo real que The Boys consegue criar, e os fãs estão amando que o show tem substância para acompanhar tudo isso, de uma forma que nem os quadrinhos não puderam fazer.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio