Chirs Rock revela que 4ª temporada “é o maior Fargo, a escala é tremenda”; confira entrevista

Publicado em 13/03/2020 00:36
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com apenas um pouco mais de um mês para a 4ª temporada de Fargo chegar às telas de FX em 19 de abril trazendo Chris Rock para o programa, o astro conversou com o Entertainment Weekly para discutir a série de antologias.

As únicas reservas iniciais que Rock tinha para assumir o papel eram o tempo que o afastaria de sua família, quanto tempo levaria a produção e que Chicago é muito, muito fria:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“O único motivo para não fazer isso era pessoal. Eu ficaria longe da minha família. É um longo compromisso. Estou filmando isso desde setembro em Chicago e ainda não terminei. E está muito frio. Eles filmam muito do lado de fora. Mas uma das grandes coisas de atuar no frio é que o frio faz parte da atuação para você, para que você não precise fingir. O cabelo grisalho também me ajuda a entrar na personagem, me ajuda a não ser Chris Rock, comediante. Demora um segundo para as pessoas perceberem que sou eu, o que é bom”.

Quando se trata do que os espectadores podem esperar de sua personagem e como ele a descreveria, Rock compara Love a uma figura muito familiar de um dos clássicos modernos da televisão:

“Ele é um homem de negócios, é diácono em sua igreja, é pai e marido amoroso, é dono de um banco e também é um criminoso. Luta e administra números e prostituição. Ele está sempre nervoso. É o estilo de Tony Soprano”.

Para Rock, a parte mais desafiadora da produção foi que o texto lhe exigiu sempre estar “ligado” durante as filmagens:

Noah (Hawley, showrunner) faz todos esses ótimos monólogos. E se você assistir Fargo, a câmera está sempre em movimento. Então você tem um monólogo de duas páginas e a câmera está se movendo assim, tudo tem que ser perfeito. Há um monte de diálogo e está tão bem escrito e é tudo importante. A cena mais pequena tem um significado tremendo. Tudo requer muita reflexão antes do tempo. Não existe ‘apenas me dê as páginas, eu vou dizer agora’”.

Quanto ao que torna esta temporada de Fargo tão diferente das temporadas anteriores, pense grande. Muito grande:

“É o maior Fargo, a escala é tremenda. Fargo normalmente conta pequenas histórias que ficam fora de controle. Elas são sobre pessoas comuns, algo acontece, e então vemos como as pessoas comuns podem ser más. Isso é bem diferente. Começamos gangsteres, então estamos começando com pessoas más, e então aumenta”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio