A verdade que faz de Adrian Veidt, o Ozymandias de Watchmen, um dos melhores vilões da cultura pop

Publicado em 24/10/2019 20:49
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Watchmen, Adrian Veidt, o ex-vigilante Ozymandias e o homem mais inteligente do mundo, é provavelmente a personagem mais misteriosa e interessante da história. Sim, os fãs adoram Rorschach por ser intransigente (embora a série da HBO esteja mostrando suas verdadeiras cores). Mas Veidt é a verdadeira estrela da graphic novel Alan Moore e Dave Gibbons.

SPOILERS DE WATCHMEN!

Ele é quem comanda a história toda o tempo todo. A personagem acaba por ter sido o vilão o tempo todo, embora só descobrimos, de fato, no final. Ele inventou o vasto plano para salvar o mundo de um armagedom nuclear, eliminando todos os que poderiam ameaçar seu plano. E, mais importante, não contou o plano para os mocinhos antes dele estar concretizado.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Há muito debate sobre as ações dele. Algumas pessoas justificam suas ações dizendo que ele fez isso em nome de um bem maior. Pessoas que, sejamos sinceros, apoiariam Thanos em Vingadores: Guerra Infinita. Essas pessoas dizem que ele fez a difícil escolha em uma situação impossível, que ele fez isso para salvar o mundo. Mas o surpreendenete é que ninguém tenha dito a única coisa óbvia sobre ele:

Adrian Veidt é louco

Realmente. Ele é maluco. Completo e absoluto. Um lunático. É tão louco quanto Rorschach. Na verdade, são dois lados da mesma moeda. Por mais que ele possa ser o homem mais inteligente do mundo. Só que isso não é uma coisa que impede sua insanidade. Longe disso.

É preciso um homem louco (ou, veja só, um Titã Louco!) para planejar o esquema que ele colocou em prática. Afinal, ele gastou milhões para criar uma lula psíquica alienígena gigante falsa e depois silenciou (matando) todos os que ajudaram.

Em seguida, jogou a lula gigante na cidade de Nova York para matar três milhões de pessoas, simulando uma invasão alienígena. Tudo isso para assustar os governos a adiar a Terceira Guerra Mundial e se unir contra uma ameaça maior para toda a humanidade.

A lula gigante é na verdade um símbolo de quão insano e sem contato com a humanidade Adrian Veidt é. Ele esteve distante e emocionalmente desapegado das pessoas durante toda a sua vida (como vimos na estreia da série da HBO), observando-as e calculando-as de cima.

É preciso loucura e desapego para transformar três milhões de vítimas em uma estatística para chocar os governos dos EUA e da União Soviética na declaração de paz mundial. Quando Zack Snyder se livrou da lula alienígena no filme por achar que era extravagante, ele mostrou não entender a personagem.

A lula gigante deveria ser extravagante e absurda. Porque isso é um símbolo de quão louco é Veidt. Ele assumiu o peso de salvar o mundo da maneira mais horrenda possível (lembra alguém do MCU?) porque achou que era necessário. Porque ele é, irremediavelmente, e de novo, um lunático.

Veidt é a prova da tese de que uma pessoa louca e inteligente é incrivelmente perigosa. Porque ele acha que está fazendo a coisa certa.

Toda versão do Veidt traz a mesma coisa em comum: a loucura

Os atores que interpretaram Veidt no filme e no programa de TV parecem entender isso sobre ele.

Matthew Goode, no filme, o interpretou com uma impaciência que gradualmente revela sua insanidade. É um desempenho sutil e subestimado em um filme quase imperfeito.

Jeremy Irons, da série HBO, parece gostar de interpretá-lo como um maluco aristocrático envelhecido e decadente que gosta de sua própria insanidade.

Mas no final, é a riqueza de como Veidt foi escrito nos quadrinhos que descreve seu raciocínio como racional e justificado, tão sedutor que algumas pessoas acabam concordando com ele. Isso não é perturbador. É uma boa escrita quando você se deixa levar pelo raciocínio do vilão por suas ações monstruosas. Pegue o Walter White de Bryan Cranston em Breaking Bad, de Vince Gilligan, como exemplo.

Adrian Veidt é louco. E é por isso que ele é um dos grandes vilões da cultura pop.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio