10 lições que a série dos Lanterna Verde pode tirar do filme com Ryan Reynolds

Publicado em 13/12/2020 21:22
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Se existe um filme da DC que é lembrado de forma negativa, com certeza um dos líderes da lista é o Lanterna Verde de Ryan Reynolds. Hoje na pele de Deadpool, o ator descansa e faz diversas piadas sobre esse personagem que o marcou.

Agora, por mais que o filme tenha muitos erros, é inegável que durante seu tempo de tela existem alguns acertos que a direção tomou. Nessa lista podemos conferir alguns pontos positivos e negativos do longa dirigido por Martin Campbell. (Via CBR)

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Negativo: A Família

Mike Doyle como Jack Jordan. Imagem: Reprodução

Normalmente nos filmes de heróis, principalmente os que abordam origem, a família é citada como uma espécie de porto seguro para o protagonista e estando lá para auxiliar a quarquer momento.

O problema nesse filme é que a família de Hal Jordan (Ryan Reynolds) e um zero são a mesma coisa. Não agregam em nada, e por mais que apresente que o sobrinho de Hal tenha uma ligação com ele, isso não é melhor explorado.

Positivo: Killwog e Tomar-re

Killwog e Tomar-re Imagem/Montagem: Warner Bros.

Se existe algo no filme que faz qualquer um dos espectadores rir com facilidade, e ser conquistado pelo carisma são as cenas envolvendo os lanternas Killwog (Michael Clarke Duncan) e Tomar-re (Geoffrey Rush).

Por mais que o CGI não seja dos melhores e as cenas sejam meio estranhas de se ver, a dupla de personagens facilmente poderia ter uma participação maior no longa, dado o fato que sua aparição quebrava o ritmo cansativo do filme.

Errado: O Traje

Hal Jordan Imagem Reprodução

Achou mesmo que isso ia passar batido?! De longe esse ponto é um dos mais criticados dentro do filme. Por mais que hoje em dia os filmes da Marvel utilizem isso a rodo, é de se levantar o fato que a produção investiu demais em algo que não deu certo.

Talvez um traje caracteristico das HQ’s fosse melhor? Coisa que você deve achar no Aliexpress ou Mercado Livre por 100 ou 200 reais. Porque no fim, ninguém parece que curtiu o traje que emana luz.

Certo: Ryan Reynolds

Ryan Reynolds (Fonte: Reprodução – Warner Bros.)

Uma coisa que é inegável afirmar, e por mais que tenha colocado o mesmo numa fria por muito tempo, é que Ryan Reynolds foi a melhor escolha como Lanterna Verde.

Se pegarmos o personagem tanto dos quadrinhos, quanto das animações, vemos que Hal é uma pessoa piadista e audaciosa a todo tempo. E incrívelmente isso foi um belo acerto da Warner, por mais que o filme seja ruim.

Ruim: Nunca ser um policial do espaço

Ryan Reynolds (FOnte: Reprodução – Warner Bros.)

Se você não gosta desse filme, um dos pontos que pode ser mais impactante para sua escolha é com toda certeza a falta de cenas do Lanterna no espaço.

Tudo bem, é legal que você trate dos problemas de um herói após ele falhar no teste, porém isso seria melhor encaixado num episódio de série. Agora, você tratar disso num filme de origem acaba deixando a trama cansativa aos espectadores. Todos queriam ver Hal viajando entre planetas e aprendendo outras coisas.

Nota: Caso esteja afim de assistir um material interessante da origem do personagem fica a recomendação de animação: Lanterna Verde: O Primeiro Voo.

Bom (em tudo): Mark Strong como Sinestro

Sinestro em Lanterna Verde (Fonte: Reprodução – Warner Bros.)

Quem assistiu o filme pode afirmar com facilidade que um dos pontos altos do filme foi a perfeita atuação de Mark Strong como o futuro antagonista da trama de Hal.

Dado o fato que de forma suave mostra sua rivalidade e certa falta de empatia com o protagonista, o personagem é eternizado como um dos pontos mais injustiçados do filme por sua qualidade. É improvável seu retorno como Sinestro, já que hoje o ator dá vida à Dr. Silvana em Shazam.

Ruim: Trilha Sonora

Os Lanterna Verde nas HQs (Fonte: Reprodução – DC Comics)

Vamos fazer um exercício aqui, você irá contar um filme de origem de um personagem aventureiro e brincalhão à todo momento. Você optaria por musicas orquestradas ou canções famosas e conhecidas?

Não desmerecendo o trabalho de James Howard, longe disso, mas a trilha sonora do filme poderia ter mais vida. Acabou que a aposta em musicas orquestradas quebra um pouco da sensação que deveria passar. Outro motivo deve se ao fato que o filme se levou a sério demais.

Bom: O Juramento

juramento do lanterna

Uma das cenas mais icônicas dos quadrinhos, e também do filme é de fato o juramento feito pelo Lanterna Verde, afim de fincar a bandeira da força de vontade acima de qualquer coisa no qual o tente destruir.

Por si só o filme pode ter muitas coisas decepcionantes, mas na hora que Hal inicia a pronúncia do juramento, até para aceitar o poder, muitos fãs devem se arrepiar já que é a citação mais icônica do personagem.

Ruim: O Vilão

parallaxx em Lanterna Verde Imagem Reprodução

Construir todo um cenário entorno do vilão é imprescindível para sua chegada, porém quando você começa a fazer muito mistério sobre ele, e apresentando somente nos últimos minutos do filme te dá uma sensação de abandono do personagem.

Lembrando o ocorrido no segundo filme do Quarteto Fantástico, Parallaxx se assemelha à Galactus, no qual é constantemente falado como um ser assustador e destruidor. No fim, ambos são uma poeira cósmica que morrem facilmente.

Bom: Corte estendido

Hal e Tomar-re Imagem Reprodução

Se tem uma coisa que deixa muito fã feliz hoje em dia é a questão do corte estendido, coisa que vemos com frequência hoje na Warner com Zack Snyder.

Em Lanterna Verde, o corte no qual traz 15 minutos adicionais busca estabelecer a relação de Hal com seu pai, coisa que é vista durante 5 segundos no filme antes do mesmo falecer. Além disso a versão busca estabelecer melhor Hector Hammond (Peter Sarsgaard) e Carol Ferris (Blake Lively) na trama. Realmente, se for assistir o filme um dia, a melhor versão é a com mais tempo.

Menção honrosa: Final feliz para Reynolds

Blake Lively e Ryan Reynolds em Lanterna Verde Imagem Reprodução

Antes de iniciar seus trabalhos no filme, Ryan era casado com Scarlett Johansson, e justamente num dos maiores fracassos de sua carreira foi que o ator conheceu sua futura esposa Blake Lively, no qual era seu par romântico no longa.

No fim de toda coisa ruim, em questão um filme que quase não se pagou, podemos ter histórias com final feliz. Hoje o casal tem 3 filhos.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio