Sex Education com sutileza mostra que ser gay na Nigéria é crime

País africano tem leis severas contra a comunidade LGBTQIA+; condenação pode levar à pena de morte

Publicado em 22/09/2021 16:58
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Sem discutir leis ou abrir espaço a falatórios politizados, Sex Education mostrou na terceira temporada os perigos que pessoas da comunidade LGBTQIA+ sofrem na Nigéria, país no qual ser gay é crime, passível de pena de morte. O drama teen da Netflix optou por abordar esse tema de forma sutil e sagaz.

O terror dessa situação crítica é vivenciado pelo jovem Eric (Ncuti Gatwa) no oitavo episódio, gravado em Lagos, capital da Nigéria. Ele deixa a Inglaterra com a família para passar uns dias na nação africana, por causa de um casamento. Desde a preparação para a viagem até a despedida da Nigéria, Sex Education foi cirúrgica ao representar a angústia de quem é perseguido por apenas existir.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Cuidados com a vestimenta

Na Inglaterra, Eric tem a liberdade de se vestir como quiser, com aquelas roupas espalhafatosas e brilhantes. Por isso, a mãe dele, Beatrice (Doreene Blackstock), foi cuidadosa com a mala que o filho preparou, o alertando que na Nigéria o adolescente não poderia usar as roupas que tanto gosta.

Eric voltou a se sentir preso. Não pôde contar para a avó, por exemplo, que namorava um garoto ao responder a pergunta se ele tinha uma namorada. 

Na festa, ele conheceu o fotógrafo Oba (Jerry Iwu). Homossexual, Oba comentou que estava feliz com a farra, mas triste “porque nunca poderei viver isso, se é que me entende“. Eric devolveu: “Eu pensei que não podíamos falar sobre isso aqui“. O fotógrafo tentou amenizar o clima, dizendo que “há muitos de nós aqui, só precisamos ser discretos.

Oba convidou Eric para uma casa noturna secreta. Na viagem de carro até o local, a tensão foi palpável. O estudante ficou assustado com aquilo e mudou de ideia ao ver que Oba se ausentou assim que chegaram na entrada da boate. É que o amigo dele foi checar possíveis rotas de fuga.

Jerry Iwu (à esq.) com Ncuti Gatwa no oitavo episódio da terceira temporada de Sex Education

Ser gay na Nigéria é crime

Os dois passaram a noite bem. Ironicamente, naquele lugar escondido, Eric se sentiu livre, podendo ser quem ele realmente é, sem precisar mentir. Na manhã seguinte, o amigo de Otis (Asa Butterfield) desabafou com a mãe: “Não quero ter que fingir, nem aqui nem em lugar nenhum.

A curtição de Eric e Oba poderia ter terminado muito mal. Em um caso de repercussão internacional, a polícia nigeriana prendeu 47 homens que estavam em um clube gay, em 2018. Todos foram acusados de demonstrar afeto em público com uma pessoa do mesmo sexo, crime que poderia colocá-los atrás das grades durante dez anos. Isso não não aconteceu porque um juiz indeferiu o caso, no ano seguinte.

Em 2014, o presidente da Nigéria na época, Goodluck Jonathan, assinou a lei mais severa contra gays no país, em vigor até hoje. Ela proíbe qualquer relação gay, criação de sociedade ou grupos e casamentos entre pessoas do mesmo sexo. As penalidades vão de 10 a 14 anos de cadeia. 

Em alguns estados nigerianos onde o fundamentalismo religioso islã é mais intenso, as punições podem chegar à pena de morte. Isso faz do país africano uma das 69 nações que criminalizam a homossexualidade, segundo levantamento da BBC. Logo, um dos piores lugares para a comunidade LGBTQIA+ viver.


Siga o Observatório de Séries nas redes sociais:

Facebook: ObservatorioSeries

Twitter: @obsdeseries

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio