Anya Taylor Joy como Elizabeth Harmon em O Gambito da Rainha (Fonte: Reprodução - Netflix)
Anya Taylor Joy como Elizabeth Harmon em O Gambito da Rainha (Fonte: Reprodução - Netflix)

Se você já terminou de maratonar a minissérie O Gambito da Rainha, na Netflix, sabe que a série escolheu esse nome por causa do movimento de xadrez que Elizabeth Harmon (Anya Tayloy Joy) usa para mudar a partida final do campeonato que ela almeja fundamentalmente.

Mas esse movimento não foi escolhido de forma aleatória, ele condiz muito com o momento de O Gambito da Rainha que estamos vendo e se mistura com a vida de Beth, e o ScreenRant explicou melhor isso.

O objetivo do movimento de xadrez é sacrificar temporariamente um peão para obter o controle do centro do tabuleiro. Esta escolha da parte de Beth está diretamente ligada ao seu passado, já que o gambito é uma espécie de sacrifício do qual se deve desistir logo no início para ganhar o jogo final.

Todas as pessoas que se preocupam com Beth, incluindo sua mãe adotiva Alma, Harry e Jolene, fazem sacrifícios por ela e, por sua vez, Beth tem que fazer o mesmo, entre os quais, o mais difícil foi superar o uso de drogas.

O xadrez, junto com o vício em pílulas, era uma forma de fuga para ela, em que o primeiro funcionava como uma rede de segurança e o último, se não fosse controlado, teria se transformado em uma espiral mortal.

Porém, agora que ela está livre de suas dependências, ela fica com uma sensação de contentamento, que a estimula a jogar xadrez no parque, que é um instinto puramente baseado na paixão, e não uma obsessão.

Agora que Beth finalmente consegue estabelecer uma relação mais saudável com o esporte em que se destaca, ela consegue se livrar da dor, pelo menos momentaneamente, e dá o primeiro passo para sair de sua zona de conforto ao decidir se abrir como indivíduo.

Uma simetria narrativa quase perfeita é estabelecida no final de O Gambito da Rainha, uma vez que é estabelecido que não importa onde ela escolha morar ou viajar, ela finalmente assegurou uma sensação de conforto caseiro dentro de si.

Depois de anos afastando as pessoas para proteger seu espaço, Beth acolhe o amor e a admiração como algo que ela merece receber. E isso, por si só, indica um caminho de recuperação e felicidade, o que resulta em um final catártico para o show.