The Witcher (Fonte: Reprodução)
The Witcher (Fonte: Reprodução)

Na semana passada, a Netflix anunciou oficialmente The Witcher: Blood Origin, um spin-off de sua bem sucedida adaptação de The Witcher. Situado 1200 anos antes da série estrelada por Henry Cavill, o spin-off cobrirá as origens do primeiro Witcher, o antigo reino élfico e a conjunção cataclísmica das esferas.

Para aqueles que assistiram apenas ao programa de TV, essas revelações sobre o spin-off soarão como uma surpreendente insanidade. Quem leu os livros e jogou os jogos, no entanto, saberá exatamente o que eles pretendem fazer. Então, o que poderíamos esperar ver em Blood Origin?

The Witcher: Blood Origin

Bem, o grande evento que começa as coisas quase certamente será a Conjunção das Esferas. Referenciado algumas vezes na primeira temporada, este é o evento cósmico responsável por quase tudo nas histórias de The Witcher.

Os detalhes exatos do que aconteceu permanecem misteriosos, mas foi efetivamente a fusão de várias Terras paralelas em uma. A Terra que vemos no show era originalmente habitada por raças antigas (elfos e anões), com a conjunção trazendo vários monstros, magias poderosas e (o mais destrutivo de todos) humanos ao mundo.

Blood Origin presumivelmente retratará os primeiros confrontos entre os humanos refugiados e os elfos nativos, pois ambos lidam com novos monstros mágicos e vorazes. O mundo de The Witcher agora está espalhado pelas ruínas do reino élfico, que já foi dominante, então será interessante vê-lo no auge de seu poder.

E é provavelmente aí que entram as origens dos bruxos. O processo que transforma jovens em bruxos superpoderosos é torturante e altamente perigoso, o que pode significar que o primeiro Witcher foi o produto de experimentos desumanos ou tortura.

O que esperar do spin-off de The Witcher?

Como o ScreenRant explicou, o programa poderia muito bem aprofundar a criação e o processo de transformação dos bruxos, e também revelar como algumas das superstições em torno dos Witchers se originaram.

“Embora os Witchers possam se parecer com super-heróis, com sua força sobrenatural e capacidade de executar uma gama limitada de magia, eles definitivamente não são tratados como heróis em seu próprio mundo”, lembra o site.

“A maioria das pessoas que interagem com Geralt prefere não se associar com os bruxos, a menos que tenham que fazer negócios, e há histórias assustadoras sobre eles sem nenhuma emoção humana e se originando no Inferno. Isso leva a uma vida de perambulação e coleta de moedas para matar bestas, principalmente por estradas secundárias”.

“Com Blood Origin, a identidade e a natureza do primeiro Witcher poderiam explicar como algumas dessas superstições se originaram, pois o protagonista da série prequel criará o molde para Witchers e seus modos estranhos e desapegados” propôs o ScreenRant.

“Dependendo da maneira de sua transformação e de como ele é recebido depois, a história que se desenrola pode ser aquela em que os espectadores veem um homem lutando contra sua nova natureza. Além disso, se essa pessoa vivesse antes da Conjunção das Esferas, um forte arco poderia ser escrito para explorar seu lugar nessa grande mudança”.