Arranjo de Natal é presença essencial em maratona natalina na TV

Minissérie clichê da Netflix agrada com uma trama ideal para espairecer

Publicado em 23/12/2021 13:37
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A minissérie Arranjo de Natal não pode ficar de fora da maratona natalina na TV. Bobinha e previsível, a produção francesa da Netflix é ideal para passar o tempo neste final de ano e desconectar um pouco o telespectador dos meses espinhosos vividos neste calendário pandêmico. A narrativa tem diversão, romance clichê e Paris enfeitada como pano de fundo, a fórmula perfeita para espairecer.

De quebra, Arranjo de Natal apresenta como base uma proposta substancial. A trama discute letras misóginas cantadas por um rapper famoso e a contrapõe com uma líder de organização feminista e engajada politicamente. Entra no debate os significados da aparência e do verdadeiro ser.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A trama de Arranjo de Natal

O rapper em questão é Marcus, vivido por Tayc, rapper na vida real. Dentro de um shopping, ele se depara com Lila (Shirine Boutella), jornalista dedicada às causas da mulher. Há uma conexão imediata, mas o clima vira ódio à primeira vista quando ela descobre quem Marcus é.

Uma troca de presentes vai fazer com que os dois se encontrem novamente, duas vezes. Uma na casa dela, depois na dele. Arranjo de Natal apresenta duas famílias bem distintas, passando o Natal de uma maneira tradicional. As visitas de surpresa são bem aceitas e acarretam em situações cômicas, de ternura e até barracos. Como uma união familiar qualquer.

Tayc com Shirine Boutella em Arranjo de Natal (Divulgação/Netflix)

É nesse caminho que a minissérie francesa segue. Lila está decidida em desmascarar Marcus e expor como o trabalho dele é sexista e degradante. A defesa do rapper é tentar mostrar a ela que, na realidade, a personalidade real dele é outra; aquele cara com o microfone na mão seria um personagem para satisfazer o mercado fonográfico.

Curta (composta de três episódios) e muito fácil de assistir, Arranjo de Natal tem de ser encarada com uma minissérie modesta. O objetivo claro é promover alguns minutos de relaxamento ao telespectador; e deixar aquela vontade de passar o fim de 2021 nas ruas parisienses. Nisso, a atração é bem eficiente.

A minissérie vai provocar risos de lado de boca, irá tocar o coração e comover quem encarar a maratona. E a viagem vale a pena. Entre tantos filmes e séries natalinas para serem vistas e assistidas novamente neste final de ano, Arranjo de Natal é essencial, tem lugar certo em qualquer lista.


Siga o Observatório de Séries nas redes sociais:

Facebook: ObservatorioSeries

Twitter: @obsdeseries

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio