James Gunn desconsidera séries da Marvel antes de WandaVision

"Nunca houve nenhuma coordenação entre os shows de antes"

Os Defensores
Publicidade

O diretor James Gunn usou as redes sociais para explicar que as séries que antecedem WandaVision não fazem parte do MCU. Para aqueles que não sabem, a Marvel licenciou algumas séries para serem criadas em outras plataformas.

Algumas delas são: Demolidor, Jessica Jones, Agents of Shield, Fugitivos, etc. Um fã ainda falou que a Marvel e a Disney consideram canônicos, mas Gunn rebateu: “Isso é incorreto. Nunca houve nenhuma coordenação entre os shows de antes e o lado cinematográfico da Marvel como há agora que todos estão sob o alcance da Marvel Studios”.

Continua depois da publicidade

WandaVision

Elizabeth Olsen como Wanda Maximoff, a Feiticeira Escarlate, e Paul Bettany como Visão em WandaVision
WandaVision, a primeira série da Marvel Studios na Disney+ (Fonte: Reprodução – Disney)

Estrelada por Elizabeth Olsen, WandaVision mostrou Wanda Maximoff tentando lidar com a morte de Visão (Paul Bettany), criando toda uma realidade alternativa que promete mudar todo o Universo Cinematográfico Marvel.

A série contou com o retorno de Darcy Lewis (Kat Dennings) e Jimmy Woo (Randall Park) ao MCU, além da chegada de Monica Rambeau (Teyonah Parris). O elenco ainda contou com Kathryn Hahn e Evan Peters.

O sucesso da primeira empreitada da Marvel Studios fora dos cinemas foi tanto que as últimas três semanas de lançamento deixaram o serviço de streaming da Disney fora do ar. O season finale serviu para provocar diversos outros títulos da franquia.

As consequências do programa devem ser exploradas no filme Doctor Strange in the Multiverse of Madness, o segundo da franquia do Doutor Estranho (Benedict Cumberbatch). A personagem supostamente teve uma cameo cortada no último minuto.

WandaVision está disponível por completo no catálogo da Disney+, que você pode assinar clicando no banner abaixo:

Publicidade
© 2022 Observatório de Séries | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade