Vincent D'Onofrio era um dos destaques como Wilson Fisk, o Rei do Crime, em Demolidor (Fonte: Reprodução)
Vincent D'Onofrio era um dos destaques como Wilson Fisk, o Rei do Crime, em Demolidor (Fonte: Reprodução)

Podemos dizer que o audiovisual descobriu nas HQs uma bela fonte de matéria-prima. De certa forma, o sucesso de filmes de super-heróis pode ter limitado a indústria de blockbusters no cinema. Mas muitas séries agora estão procurando nos quadrinhos histórias para contar.

Contudo, não podemos esperar que todas elas funcionem em termos de audiência. Mesmo assim, muitas delas foram aclamadas pela crítica e por um público mais nichado.

Por isso, alguns shows cancelados fazem falta. Enquanto algumas ainda podem ter se encerrado satisfatoriamente, e ainda assim deixaram os fãs querendo mais, outras simplesmente acabaram sem um fim. E nós não vamos nos esquecer disso.

Então, fizemos uma lista com as séries que gostaríamos de ver muito mais do que nos foi dado. Mas, infelizmente, não veremos!

Demolidor

A primeira série da parceria entre a Marvel Television e Netflix acabou depois de sua 3ª e melhor temporada. Mais do que isso, Demolidor teve ótimas duas primeiras temporadas iniciando um universo compartilhado e gerando um spin-off. Certamente, queríamos ver mais de Matt Murdock, Wilson Fisk e companhia.

Happy!

A comédia sombria foi um programa que fez as manchetes. Mas quem a assistiu, conhecia seu potencial. Baseada na minissérie de quatro edições de Grant Morrison e Darick Robertson, o programa segiu Nick Sax, que se une ao amigo imaginário de sua filha, um unicórnio azul falante, para salvá-la do The Very Naughty Santa.

Monstro do Pântano

Swamp Thing (Fonte: Reprodução)

A série começou a sofrer antes de sua estreia, quando viu seu número de episódios ser diminuído. Depois, assistimos ao show ser cancelado logo após sua estreia. Certamente, isso fez com que muitos nem se importassem de conferir o show, que foi aclamado pela crítica e era uma belo projeto da DC Universe.

The Tick

Griffin Newman como Arthur Everest e Peter Serafinowicz como The Tick em The Tick (Fonte: Reprodução)

Apesar de seu cancelamento prematuro, The Tick é o 2º colocado da lista com mais episódios feitos. Recebendo 22 episódios no total, a série da Amazon Prime Video seguiu as façanhas de seu super-herói titular e seu companheiro humano, Arthur, enquanto tentavam manter sua cidade a salvo de super-vilões. O show é um equilíbrio maravilhoso entre paródia de super-herói e ação.

Constantine

Matt Ryan como John Constantine em DC's Legends of Tomorrow (Fonte: Reprodução)

A série tinha alguns defeitos, é verdade, mas adaptou bem a personagem principal e alguns de seus arcos. A aprovação da protagonista fez com que a CW levasse John Constantine para Legends of Tomorrow, provando que ainda há espaço para ele na TV. Quem sabe se, digamos, ele adquirisse um novo vício… Como, digamos, FUMAR… A série não teria sido mais bem recebida pelos fãs.

Preacher

Esse é o único programa nesta lista que vai por conta própria, pois os criadores foram avisados com antecedência de que a 4ª temporada também será a última. Os produtores executivos Seth Rogen e Evan Goldberg criaram uma experiência televisiva totalmente única com sua adaptação dos quadrinhos seminais de Gath Ennis e Steve Dillon.

Deadly Class

Esta ainda dói. Deadly Class deveria ter sido o hit do ano. Foi uma nova visão de um conceito cansado, trazendo uma maravilhosa trilha sonora (se você acha que isso não importa para os fãs de HQs, leia mais sobre Guardiões da Galáxia), um bom elenco e (ainda por cima) foi produzida pelos Irmãos Russo. Para piorar, a primeira e única temporada acabou em um enorme gancho.