The Politician (Fonte: Reprodução)
The Politician (Fonte: Reprodução)

A série Hollywood, de Ryan Murphy, deixou os fãs em um estado emocional agitado depois de pintar uma história inspiradora sobre como superar a opressão em uma realidade alternativa da Era de Ouro. Mas os fãs da Netflix também devem se lembrar da série anterior de Murphy no streaming, The Politician, que começou a abordar o privilégio dos brancos e o aperto firme da elite em um nível muito mais moderno.

Com a 2ª temporada de The Politician agora disponível no catálogo da Netflix, aqui está tudo o que você precisa saber antes de assistir Payton Hobart (Ben Platt) iniciar um novo capítulo de sua busca por seu objetivo de se tornar o presidente dos Estados Unidos.

Primeira eleição

A 1ª temporada se concentrou na fictícia Saint Sebastian High School, em Santa Barbara, Califórnia, onde Payton fez todas as jogadas desagradáveis possíveis para vencer a eleição presidencial do corpo discente.

Danificado pelo suicídio de seu amante, River (David Corenswet), Payton estava decidido a vencer a eleição, fazendo parte de um plano para entrar em Harvard.

No entanto, suas críticas o arruinariam, pois sua companheira de chapa, Infinity (Zoey Deutch), na verdade não tinha câncer, mas estava sendo adoecida por sua avó, Dusty, para que pudessem ganhar brindes.

Uma nuvem de calúnia seguia a equipe de Payton em todos os lugares, porque junto com seu ego, os segredos pessoais continuavam machucando-os. Sua namorada, Alice (Julia Schlaepfer), dormia com seu gerente de campanha, James (Theo Germaine), enquanto Payton foi envenenado por Skye (Rahne Jones), companheira de chapa da oposição que estava tendo um caso com seu outro gerente de campanha, a McAfee (Laura Dreyfuss).

Futuro

A oponente de Payton, Astrid (Lucy Boynton), e sua equipe também não se saíram bem. Ela e Skye não podiam se dar bem, forçando Skye a mudar de lado; ninguém sabia que Skye se aliaria com Payton. E antes que Astrid soubesse que vencera a eleição por dois votos, ela saiu da corrida, dando a Payton uma vitória por desistência.

Ela também fugiu para Nova York com Ricardo (Benjamin Barrett), o degenerado ex de Infinity, deixando a cidade em um frenesi. Isso era para se vingar de seus pais, especialmente o pai, Theo (Dylan McDermott), a quem ela entregou ao FBI por fraude eletrônica.

Entre todos as personagens, Astrid parecia ser a mais acordada, pois queria viver fora da classe alta depois de perceber como eles tiravam vantagem de todos os outros.

Além disso, depois que Payton conseguiu sua admissão em Harvard e ele e sua mãe adotiva, Georgina (Gwyneth Paltrow), escreveram o testamento da família para o caso lésbico deste último, Astrid parecia ser a única pessoa que ganhava na vida. Mal sabíamos que seu próximo emprego como garçonete em Nova York redefiniria o futuro de todos esses jovens adultos.

Nova corrida

O final da 1ª temporada saltou três anos à frente, com a McAfee agora trabalhando para a senadora do estado de Nova York, Dede Standish (Judith Light). Chocada com a falta de contato com Dede e sua gerente, Hadassah (Bette Midler), McAfee reuniu a antiga equipe do ensino médio para incentivar Payton a concorrer com Dede.

Todos sabem que ele é quem mais quer e nasceu para a política, então todas as diferenças são deixadas de lado e todos ficam por trás da nova campanha de Payton.

Payton está em campanha intensa na 2ª temporada, mas durante a corrida membros da equipe que não conseguem evitar que o rancor de anos antes prejudique sua reputação. Astrid descobriu que Dede está em um casamento poligâmico. Então ela tem muito poder. Os velhos hábitos são difíceis de morrer e não ficaremos surpresos se ela decidir aproveitar esta oportunidade para montar uma campanha própria.

Também há muito drama familiar, com a família de Payton o odiando. Enquanto isso, Astrid poderia pagar pelo envio de seu pai para a prisão e Infinity poderia enfrentar a ira de sua avó. Além disso, Ricardo, que está preso por suas transgressões na Califórnia, é um grande curinga.