Andrew Lincoln como Rick Grimes em The Walking Dead (Fonte: Reprodução)
Andrew Lincoln como Rick Grimes em The Walking Dead (Fonte: Reprodução)

The Walking Dead é uma série que ficou conhecida por conseguir surpreender os fãs. Assim, estes não puderam deixar de estranhar quando a saída de Andrew Lincoln foi anunciada. Rick Grimes vinha sendo o protagonista da série desde o seu começo. Entretanto, os índices de audiência cada vez menores na AMC pediam uma reformulação. Finalmente, ela veio. E mesmo anunciada, veio cheia de surpresas.

Se a saída de Rick parecia uma tentativa desesperada de chamar o público de volta, o final do quinto episódio da nona temporada justificou o anúncio. A série voltou a surpreender como não fazia desde a chegada de Negan, culminando na morte de Glenn. Nem mesmo a morte de Carl teve esse efeito. Independente de qual seja o fato que levou à despedida de Rick, o fato é que o seriado soube aproveitar o chamariz para renovar a série. Mesmo com um episódio fraco.

O episódio segue basicamente uma hora de despedidas de Rick à personagens que nem mais na série estão. Enquanto o protagonista prepara seu último ato de heroísmo, alucinações devido a dor e perda de sangue emaranham o programa nos momentos em que ele está fraco demais para continuar. Shane, Hershel e Sasha reaparecem para conversar com ele. As cenas são bastante emotivas e podem ser um deleite para o fã que acompanhou a série desde o início.

Todavia, um episódio puxado demais para a saída da personagem pode ser cansativo. Mesmo que os outros pontos interessantes acabam se fechando, tudo gira em torno de um moribundo Rick Grimes. No entanto, outra personagem que deixou a série tem seu momento. O nome do episódio, What Comes After, ao mesmo tempo que fazia os fãs pensarem sobre o que os aguarda no futuro, surpreendentemente está ligado também à trama de Maggie.

Assim, a nova showrunner, Angela Kang, conseguiu fazer uma brilhante transição do reinado de Scott M. Gimple para o seu. As possíveis e mais importantes ressonâncias da guerra contra os Salvadores são rapidamente trabalhadas nesses primeiros cinco episódios. O último episódio de Rick marcou também o final de uma era.

A saída de Rick culminou em um salto temporal, fazendo a série ganha um frescor que há muito não se via. A família Grimes permaneceu, graças à Judith e RJ, embora o último ainda não tenha feito muita coisa pela trama. Ambos representam um novo caminho. No entanto, um novo caminho repleto de uma carga de temporadas passadas. Filha de Lori e Shane, Judith chega ao papel que previa-se anteriormente que seria de Carl, usando inclusive o chapéu do irmão, além do revólver de Rick e uma pequena espada, assim como Michone. RJ é o fruto da união de Rick e Michonne, uma etapa nova que veio após Lori e Shane.

É fato que Angela Kang chegou abalando as estruturas da série. Se Scott M. Gimple assumiu a franquia como um todo, as mudanças radicais da 9ª e 10ª temporada passam por sua aprovação. Mas Kang é a responsável por dar um frescor ao seriado que só pode ser equiparável ao brilhante episódio piloto. Ao tirar apenas uma peça do jogo, Kang modificou toda a dinâmica do programa, abrindo possibilidades inimagináveis para fora dele também.

Infelizmente, as coisas começaram a tomar um caminho novamente lento com os Sussurradores. A 10ª temporada perdeu um pouco de ritmo. Ainda assim conseguimos sair do limbo que foi a guerra com os Salvadores. O último episódio dessa temporada, atrasado pela pandemia do Coronavírus (COVID-19) ainda está para sair. Com esse hiato, talvez Kang possa usar esse tempo para descobrir como reviver a série novamente em sua 11ª temporada.