A Netflix e os demais serviços de streaming só ficaram atrás da audiência da Globo (Fonte: Reprodução)
A Netflix e os demais serviços de streaming só ficaram atrás da audiência da Globo (Fonte: Reprodução)

O colunista do UOL, Ricardo Feltrin, revelou nesta quarta-feira (08) que obteve dados que confirmam que os streamings, liderados pela Netflix, já estão mirando alto quando se fala em audiência. Afinal, eles só estão perdendo para a Globo em números, sendo mais assistida do que todas as outras emissoras do país.

Os dados são da chamada faixa comercial da televisão, que começa às 7h da manhã e vai até a meia-noite, para o período de junho, streamings atingiram 7,0 pontos de audiência e 15% de share no Brasil, aumento um décimo de ponto em relação ao mês anterior.

Essa conta inclui o YouTube, a Amazon Prime Video, a Globoplay, a AppleTV+ e demais serviços. Mas é claro que a Netflix é quem lidera essa conta, sendo o streaming mais consumido do país e do mundo. A coluna ainda nota que os dados, vindo da Kantar Ibope Media não levou em conta números de mobile, como celulares e tablets.

Cada ponto equivale a 250 mil aparelhos nas 15 maiores regiões metropolitanas do país. Ou seja, estamos falando de cerca de 1,75 milhão de televisores sintonizados nos streamings.

2ª maior audiência do Brasil

Audiência do Brasil pode trazer mais streamings para o país? (Fonte: Reprodução)

Assim, os streamings assumem a vice-liderança, tirando a prata de TV paga que, com a somatória de TODOS os canais, ficava em segundo lugar. Em junho, no entanto, uma pontuação de 6,3 na audiência viu a somatória da TV por assinatura amargar o bronze.

O vasto catálogo da Netflix, seja com suas séries dramáticas ou seus sitcoms hilariantes, talvez com a ajuda de suas estreias de junho, ainda ajudaram os serviços a ficarem na frente de emissoras como a Record (5,5 pontos e 12% de share), o SBT (5,0 e 10,8%), a Band (1,5 e 3,2%) e a RedeTV (0,6 e 1,4%).

Como dito acima, a Netflix e outros serviços ainda não bateram a Globo, cuja audiência da faixa comercial é de 15,0 pontos, com 32,6% de share nacional, mais do que o dobro da somatória dos streamings.

No entanto, como somente televisores foram contados, certamente os números são maiores e, somando outros aparelhos capazes de reproduzir streamings de vídeo, há espaço para imaginação de que a audiência do conteúdo online pode superar o convencional mais cedo do que esperávamos.