After Life: Vocês Vão Ter Que Me Engolir (Fonte: Reprodução)
After Life: Vocês Vão Ter Que Me Engolir (Fonte: Reprodução)

Na última sexta-feira (24) chegou à Netflix a 2ª temporada de After Life: Vocês Vão Ter de Me Engolir, o mais recente projeto televisivo do britânico Ricky Gervais. Conhecido por seu humor absolutamente ácido, neste seriado Gervais estrela, escreve e dirige uma comédia dramática sensível sobre um homem que precisa continuar sua vida após sua esposa perder uma batalha contra o câncer.

Apesar de sua curta duração (são 6 episódios por temporada que têm em torno de 30 minutos cada) After Life é um seriado capaz de se aprofundar no drama de suas personagens enquanto entrega ótimos momentos cômicos. Se na primeira temporada a trama girava em torno de uma personagem principal deprimida e com tendências suicidas que maltratava praticamente todos a sua volta com um humor pessimista, em seu segundo ano ela é capaz de atravessar para um lado um tanto mais esperançoso. Sem deixar de apresentar os ecos daqueles sentimentos do protagonista em sua primeira temporada, a série consegue expandir seu universo. E grande parte disso se deve ao maior espaço dado às tramas paralelas, mesmo sem deixar de ser concisa.

Apesar de muitas vezes Tony (Gervais) incorrer em erros do passado, vemos esta personagem mudar pouco a pouco. Sua relação com a memória, seu olhar sobre o seu cotidiano e sobre as pessoas que o cercam vão gradativamente se tornando mais positivas. E tudo isso sem abandonar o timing quase impecável que Gervais e seu cáustico humor possuem para uma sitcom, algo explorado afundo, por exemplo, em seu seriado The Office.

Por fim, After Life tem uma 2ª temporada ainda mais forte que sua primeira. Às custas de um humor mais ácido, a série é capaz de nos trazer ainda mais para perto das personagens, nos aprofundar em seus dramas, esperanças e seu cotidiano. E ainda, no final, nos deixar com vontade de ver mais alguns capítulos daquela história.

Assim, nesse novo capítulo de sua carreira, Ricky Gervais entrega umas das mais sensíveis (e imperdíveis) séries da atualidade. Uma produção relativamente simples, mas carregada de um texto vigoroso e lotada de personagens cativantes.