Expresso do Amanhã (Fonte: Reprodução)
Expresso do Amanhã (Fonte: Reprodução)

O mais recente lançamento de ficção científica da Netflix, Expresso do Amanhã, oferece uma história intrigante, mostrando as últimas pessoas da humanidade viajando através de um planeta Terra congelado em um trem de alta tecnologia, enquanto uma rebelião se forma entre as classes presas a bordo.

Contudo, pode ser que um drama ainda mais intrigante estivesse acontecendo por trás das cenas que podemos ver no catálogo da Netflix, nos bastidores durante a produção problemática da série.

Com refilmagens “extremas”, a série baseada no filme pós-apocalíptico de Bong Joon-Ho e na graphic-novel francesa original não teve a jornada mais tranquila, com alguns atrasos inesperados e inapropriados que quase tiraram todo o projeto dos trilhos.

Agora, Expresso do Amanhã está finalmente entre nós (ao menos seus dois primeiros episódios). Mas algumas mudanças estranhas nas personagens principais deixam claro a produção problemática que a série teve.

“Minha personagem mudou muito do piloto para Expresso do Amanhã 2.0“, disse a estrela da série, Annalize Basso, ao RadioTimes.com. “Elas são duas personagens completamente diferentes”. Mas talvez isso não seja surpresa, dada a história conturbada da série.

Expresso do Amanhã 1.0

O piloto original de Expresso do Amanhã foi filmado em 2018, por Scott Derrickson, diretor de Doutor Estranho, a partir de um roteiro do showrunner Josh Friedman.

Mas depois de “diferenças criativas” Friedman foi substituído pelo criador de Orphan Black, Graeme Harper, que planejava refazer partes do primeiro episódio. Mais tarde, Derrickson revelou no Twitter que se recusou a retornar, citando ainda mais diferenças criativas:

“O roteiro piloto de TV de 72 páginas de Expresso do Amanhã (de Josh Friedman) é o melhor que eu já li”, disse o diretor. “O piloto de longa-metragem que fiz desse roteiro pode ser o meu melhor trabalho. O novo showrunner tem uma visão radicalmente diferente para o show. Estou renunciando à minha opção de dirigir as refilmagens extremas”.

Agora, anos depois, a série finalmente chegou. E algumas pessoas notaram que na série final de Harper, muitos membros do elenco estão desempenhando papéis extremamente diferentes daqueles com os quais foram anunciados, sugerindo as mudanças “extremas” que Derrickson havia mencionado.

As mudanças extremas

Por exemplo, o protagonista da série, Daveed Diggs, deveria estar interpretando um viciado em drogas obcecado por ratos. Mas agora é um ex-detetive de homicídios bastante lúcido. Já a atriz britânica Alison Wright deveria interpretar um membro de baixo status da terceira classe, mas agora é um membro arrogante da equipe do trem.

“Não sei o quanto tenho permissão para dizer. Mas apenas digo que elas são personagens realmente diferentes, e é um programa muito diferente”, revelou Basso.

No anúncio original da série, Basso estava programada para interpretar “uma garota tranquila e diligente do centro-oeste que vive com os pais em um vagão de terceira classe e trabalha no vagão de estufa”. Contudo, na versão final, ela é a descendente caótica de uma família rica na primeira classe do trem, com o nome dela também mudando de LJ Anderson para LJ Folger.

“Ela é uma das passageiras mais jovens da primeira classe e está cheia de raiva e sem amigos, um pouco niilista e acho que a única vez que ela fica feliz é quando está causando o caos”, disse Basso. “LJ é realmente instável, destrutivo e sem direção e, nesse sentido, não somos nada parecidas, por isso foi um desafio tentar entrar nesse espaço de liderança”.

Para a atriz, as diferenças são apenas uma prova da versatilidade da premissa:

“É isso que eu amo em Expresso do Amanhã”, disse ela. “Você tem Expresso do Amanhã, o filme dirigido por Bong, e essa é uma história completamente diferente contada sob um ponto de vista ou perspectiva completamente diferente. Depois, você tem a versão de Josh Friedman e a versão de Graeme”.

“Cada versão é maravilhosamente única e criativa e conta a história de uma maneira única”, concluiu a atriz.