Anthony Mackie fala da carga emocional de ser um Capitão América negro no MCU

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A vida é realmente diferente agora para Anthony Mackie depois que ele aceitou o escudo do Capitão América de Chris Evans no final de Vingadores: Ultimato. O ator se sentou para conversar com o Deadline sobre seus próximos projetos e destinou algum tempo para refletir sobre sua jornada no Universo Cinematográfico Marvel.

“Quer saber? Para ser honesto, é muito emocional”, revelou Mackie sobre assumir o manto do herói. “Estou no ramo há 20 anos e tive a sorte de fazer coisas incríveis e trabalhar com pessoas incríveis. Para mim, ser negro em 2019 e receber o manto do Capitão América com a história dos negros neste país é um passo monumental, não apenas no entretenimento, mas também na minha vida”.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Tem sido extremamente emocional. Olha, meu avô era um meeiro, entende o que eu quero dizer? Há muita história, dor, triunfo e alegria que me acompanham sendo o Capitão América”, disse o ator.

Chris Evans foi quem contou para Anthony Mackie

Mackie falou sobre o momento em que Chris Evans deu a notícia a ele, e a história é uma que as pessoas podem não esperar. Não há como alguém estar preparado para assumir esse papel depois do trabalho de Evans. Mas é aí que o ator se encontra agora.

“Estávamos filmando em Atlanta e Chris Evans nos levou à casa dele para assistir a um jogo de futebol. Porque todos odiamos os Patriots e ele ama os Patriots”, começou Mackie. “Ele e eu descemos as escadas e ele está me mostrando a casa e ele diz: ‘Você está animado?’ Eu respondi ‘Sim, vai ser um bom jogo de futebol. Eu amo futebol, assisto futebol toda semana. Mas eu não sabia que você gostava disso’. E ele diz: ‘Não, sobre o roteiro. Você não leu a cena?’ Eu fiquei tipo ‘Não’. Então ele pula, sai correndo da sala e volta com o roteiro e me acerta com ele. Ele falou ‘Página 85! Leia! Leia!’ E ficou sentado lá como uma criança assistindo!”

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio