Depois de lançar um novo trailer de Watchmen, revelando a presença do Dr. Manhattan, sob os holofotes da San Diego Comic Con, Damon Lindelof falou nesta quarta-feira (24) sobre o coração da série da HBO baseada na clássica HQ de Alan Moore e Dave Gibbons do final dos anos 80.

“Quando comecei a pensar sobre o que Watchmen seria, tentando pensar sobre isso com o material original, os quadrinhos eram altamente políticos. O que em 2019 é o equivalente ao impasse nuclear entre os americanos e os russos?”, O co-criador de Leftovers perguntou durante o painel de Watchmen.

“É o conflito racial com a polícia na América”, disse Lindelof, respondendo à sua própria pergunta enquanto a estrela Regina King e a diretora Nicole Kassell estavam sentadas ao lado dele no palco.

Realidade alternativa

Com sua estreia marcada para outubro, a série se concentrará na personagem de King. Assim, seguirá uma policial em um mundo onde os policiais usam máscaras. Além disso, não há internet ou smartphones, e um culto cresceu em torno do finado Rorschach.

Jeremy Irons retratará um Ozymandias em reclusão enquanto Robert Redford viverá um presidente dos Estados Unidos que, na trama, se mantém no cargo há mais tempo que qualquer outro já se manteve.

“Não é para ser um mundo que você reconhece. Estamos usando uma história alternativa, ficção científica, ficção popular, para temas de Cavalo de Troia que prevalecem no mundo real, em um fictício”, diz ele. “Este é o ponto de partida. E se você está perguntando, a polícia é apresentada sob uma luz heroica, eles deveriam ser os heróis desta história? Eu acho que a resposta é certamente não”.

Não será seu “filme tradicional de super-heróis”

“Não há respostas fáceis ou soluções grandiosas”, acrescentou ele, observando que isso não iria acontecer como sua saga padrão de super-heróis na tela pequena ou grande.

“Em um filme tradicional de super-heróis, os mocinhos lutam contra alienígenas, e quando vencem os alienígenas, os alienígenas voltam para o planeta e todos ganham. Não há derrota na supremacia branca, ela não vai a lugar nenhum. Mas me pareceu um inimigo bastante formidável”.