Rei da Noite, Thanos, Doutor Estranho e Bran Stark (Fonte: Reprodução/Montagem)
Rei da Noite, Thanos, Doutor Estranho e Bran Stark (Fonte: Reprodução/Montagem)

A série Game of Thrones, da HBO, chegou a um momento decisivo. The Long Night, 3º episódio de sua 8ª temporada, trouxe a tão esperada Batalha de Winterfell. Contudo, a série acabou por decepcionar alguns fãs. O que fez muitos outros se questionarem se o episódio fugiu tanto do conceito da série.

Dentre as reclamações, algumas são comuns. Uma das mais recorrentes, acaba por ser pela iluminação. Nesse caso, pouco pode se falar sobre. A escolha foi consciente e ela pode funcionar ou não funcionar. Mas grande parte do público tem reclamações em relação ao roteiro.

Já nesse caso, mesmo que não se justifique a ausência dessas explicações no programa, outra obra do audiovisual pode nos ajudar a entender melhor. O mais antecipado longa desse ano, Vingadores: Ultimato, tem algumas questões explicações que se encaixam muito bem com a série.

A primeira dessas explicações fica por conta de Thanos. O vilão maior da Saga do Infinito tem muito em comum com o Rei da Noite. Ambas as ameaças começam a surgir sutilmente, enquanto um suposto herói tenta alertar sobre a eminência do perigo. Mas os fãs queriam saber mais sobre o Rei da Noite, principalmente sobre seus planos.

Thanos e o Rei da Noite

Enquanto o fã mais atento sabe que Bran deixou bem claro as motivações do Rei da Noite, parte do público queria mais detalhes. Mas se entendermos o plano de Thanos em Vingadores: Ultimato, a analogia fica óbvia. O Titã Louco chega à conclusão de que o universo está superpopulado, e decide juntas as Joias do Infinito para dizimar metade de toda a sua população. Assim, chegamos ao famoso estalo no final de Vingadores: Guerra Infinita.

Entretanto, os Vingadores descobrem uma maneira de reverter o feito de Thanos. Dessa forma, Thanos percebe o que chama de um erro no seu plano anterior. A metade sobrevivente nunca conseguiu deixar a metade dizimada para trás. Então, o Titã decide que irá eliminar toda a vida do universo, criando uma nova gênese, onde ninguém saberia que a sua utopia viria de um genocídio.

Analogamente, essa é a intenção do Rei de Noite. Ao matar Bran, e dizimar todos os homens de Westeros, trazendo a eterna noite, o líder dos White Walkers apagaria toda a história do continente. Assim, não haveria uma revolta por parte dos remanescentes. Portanto, seria mais interessante esperar o momento certo, ao invés de simplesmente, como muitos teorizavam, ir direto para Porto Real. Entretanto, a série não se explicou tão bem quanto o filme da Marvel.

Doutor Estranho e O Corvo de Três Olhos

Outro ponto questionado pelo público foi a falta de ação de Bran. Ao analisar de perto a série como um todo, podemos ver que o mais novo Corvo de Três Olhos colocou nas mãos de Arya a arma que deu fim ao Rei da Noite. Mas sua participação na duração da Batalha de Winterfell foi praticamente nula. Decerto, Stephen Strange prova em Vingadores: Ultimato que, com apenas uma fala, poderia se explicar melhor o acontecido.

Quando o Homem de Ferro pergunta para o Doutor Estranho se as coisas estão acontecendo como o planejado, Strange diz para Tony Stark que ele não poderia falar sobre o futuro, pois dessa forma ele não aconteceria. Ao aplicarmos essa lógica em Game of Thrones, podemos entender o que faz Bran ficar tão calado no decorrer desses últimos episódios.

Contudo, vale lembrar que Bran ajudou Sam a descobrir a verdadeira origem de Jon Snow. Nesse caso, o garoto tem uma parcela de intervenção no caminhar das coisas. Assim como o momento em que dá a adaga Catspaw para Arya. O mesmo fez Strange quando diz a Tony que há uma chance de vencer, e quando convence Thanos de não eliminar o gênio bilionário, que seria decisivo em diversos momentos do filme.

Pode-se dizer, então, que Bran e Strange agem analogamente em seus universos. Sendo ambos os mais esperados eventos da cultura pop desse ano, acontecendo em abril de 2019, um mês que será lembrado ainda por muito tempo. Mesmo que Thanos ou o Rei da Noite não queiram.